Abuso de motoristas continua nas alamedas de Alphaville

Estacionar nas alamedas de Alphaville e Tamboré em horário comercial tornou-se um exercício de paciência. Além de pararem cada vez mais longe do destino, motoristas esperam, em média, meia hora para conseguir um local vazio e, em muitos casos, acabam optando por vagas proibidas.

Aliás, alguns já optam direto pelo local proibido: sobre faixas de pedestres, sinalização do solo, em cima de canteiros centrais e calçadas. Outros simplesmente param até no meio da rua, dando a impressão que o veículo foi abandonado na via pública.

Esse abuso se dá por várias questões: faltam vagas nos estacionamentos particulares e nas ruas; o motorista não quer desembolsar nada para estacionar e porque aumentou o número de veículos que chega aos bairros nos horários de rush pela manhã. Em maio, esse número estava estimado em 65 mil, mas desde lá vários empreendimentos foram lançados, assim como novas empresas se mudaram para a região.





Embora haja a fiscalização constante do Demutran (Departamento Municipal de Trânsito), muitas vezes os motoristas conseguem escapar das multas. Um avisa o outro e todos retiram os carros dos locais proibidos enquanto a fiscalização está próxima. Basta os agentes se afastarem para que os carros retornem aos locais proibidos.

Para o engenheiro Carlos Henrique Santos, que trabalha na região do 18 do Forte, essa situação só vai melhorar com investimentos em transporte público de qualidade. “Espero que o trem ou metrô chegue a Al­phaville e Tamboré para atender esse fluxo imenso de trabalhadores”, diz. Ele acredita que os trabalhadores irão migrar para o transporte público. “Ninguém gosta de trânsito.”

Fonte: Folha de Alphaville





1 resposta

  1. CLAUDINEI SANTOS 30 de outubro de 2012

Deixe uma resposta para CLAUDINEI SANTOS Cancelar resposta